2ª Festa Literária de Rio Novo

2ª Festa Literária de Rio Novo

Foto: Associação Cavaleiros da Cultura

 

Texto: Associação Cavaleiros da Cultura – Página Oficial

 

Muito além de uma festa!

 Consolidando ações da ACC em Rio Novo, Festa Literária reúne 10 mil pessoas pelo incentivo à leitura

 Saldo mais que positivo. Em quatro dias de Festa Literária, a Praça Prefeito Ronaldo Dutra Borges, em Rio Novo, acolheu cerca de dez mil pessoas. O primeiro dia de evento, quinta-feira, 13, teve a abertura oficial com personalidades e autoridades locais além da conferência “Para gostar de ler”, com o autor João Pedro Roriz. O marco inicial contou também com a apresentação do Coral da OAB/JF e do Coro Municipal de Juiz de Fora, sob a regência do maestro Domício Procópio.
 As apresentações dos alunos da rede pública de Educação deram o tom do segundo dia da Festa Literária de Rio Novo. Na tenda montada na Praça Prefeito Ronaldo Dutra Borges, os estudantes encenaram musicais e peças de teatro dando vida às histórias e aos personagens do escritor e cartunista Ziraldo.

 Diante do grande público, se alternaram no palco, os alunos das escolas municipais CAIC Mariinha Pontes, Onofre Dias Ladeira, Cantinho Feliz, Francisca de Araújo Gomide Simões e Carmen Mendonça de Araújo. Também participaram os alunos das escolas estaduais Olympio Araújo e Raulino Pacheco.

 Entre as diversas atividades, o dia ainda contou com distribuição de livros, contação de histórias, oficina de ilustração, lançamento de livros, banquete literário, noite de causos e caldos e show musical para encerrar o dia.

 O terceiro e mais esperado dia de evento, contou com a presença do patrono, Ziraldo. O aclamado escritor chegou à tenda que leva o seu nome, a bordo de uma caminhonete escoltada pelos Cavaleiros da Cultura, sob o comando do presidente da entidade Carlos Oscar Niemeyer Magalhães.

 Na entrada, o autor foi recebido pela prefeita Virgínia Ferraz, que lhe deu as boas-vindas, em nome da cidade. Com a irreverência e a lucidez típicas dos grandes mestres, Ziraldo emocionou, arrancou gargalhadas e motivou reflexões. Simplesmente, tornou inesquecível o dia dos milhares de adultos e crianças que passaram, no sábado, 15, pela 2ª Festa Literária de Rio Novo.

 “Escola é para ensinar a ler, escrever e contar” 

Nas duas palestras, o escritor consagrado no Brasil e no exterior não se cansou de dizer: “escola é para ensinar a ler, escrever, contar e ser cidadão. Juntas, essas coisas formam o sexto sentido. Sem ele, a pessoa é aleijada”. De acordo com Ziraldo o modelo adotado pela Educação brasileira está na contramão do desenvolvimento humano. “O professor tem que esquecer essa história de currículo imposto pelo MEC (Ministério da Educação). Todos os anos, o ensino fundamental entrega para o ensino médio, milhões de analfabetos. Isso é porque a educação básica se afastou do seu papel primordial, que é formar, ao invés de informar”, explicou ele.

 Como um bom contador de “causos”, o filho ilustre de Caratinga prendeu a atenção dos espectadores, sem perder a oportunidade de “falar o que vocês precisam ouvir”. Aproveitou para transitar por vários temas, criticando visões e tendências da atualidade.

 Num dos exemplos, foi contra alguns estilos musicais que “bombam” na mídia, principalmente o sertanejo. “Não tem uma letra que preste. Vocês precisam ouvir mais Caetano, Gil e Chico Buarque”, disparou.

 No primeiro encontro realizado durante a manhã de sábado, Ziraldo falou especificamente para o público infantil, formado por centenas de alunos das escolas de Rio Novo e de cidades da região. À tarde, a conversa foi com os adultos. Depois da prosa, o público pode participar das seções de autógrafo, com direito a muitas fotos e contato direto com o artista.

 Outros destaques do dia terceiro dia

 A grande movimentação do terceiro dia da Festa Literária de Rio Novo foi muito além da presença do homenageado Ziraldo. No Centro Cultural, os autores Mary e Eliardo França receberam o público para um bate-papo. No mesmo local aconteceu a conversa com Júnior Rossi, escritor da nova geração.

 A programação ainda teve contação de histórias, jornada de oficinas simultâneas na Praça Ronaldo Dutra Borges, lançamento de livros, mesa redonda com escritoras e performances artísticas sobre africanidades no Centro Cultural. Encerrando a noite, os shows musicais de Daniel Monnerat, Janaína Gentil e Banda e Lúdica Música!.

 A Festa no domingo, quarto e derradeiro dia de evento, começou logo pela manhã com a apresentação, na Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição, do Coral e Orquestra Entre Cordas, sob a regência do maestro João Paulo Fazza.  Logo após, o emocionante cortejo “Sonho de uma noite de verão” tomou conta da Praça Prefeito Ronaldo Dutra Borges. Em cena, os 26 atores da juiz-forana Cia. Academia de Teatro percorreram o local arrancando risos, lágrimas e promovendo uma verdadeira interação com quem assistia ao espetáculo, com suas cantigas, que falam do orgulho em ser mineiro, além do festival de cores.

 Dando sequencia a magia, a Trupe Angu Doce contou diversas histórias, fez o público dançar e gargalhar ao fazer truques de ilusionismo. No espaço do autor, Nicácio Robert fez o lançamento do livro “O elefantinho Alfredo e o segredo da felicidade”, enquanto Alcina Maria Cardoso e Valéria Pereira bateram papo com os presentes. Fechando com chave de ouro a 2ª Festa Literária de Rio Novo – Edição Ziraldo, Flavinho da Viola, chamou ao palco diversos artistas da região para uma roda de boa música. Logo depois, Sandra Portella fez o público cantar e sambar em um grande show.

 Sobre o evento 

A 2ª Festa Literária de Rio Novo – Edição Ziraldo reuniu cerca de 10 mil pessoas na Praça Prefeito Ronaldo Dutra Borges, em Rio Novo, Minas Gerais, entre os dias 13 e 16 de agosto. A iniciativa, idealizada pela Associação Cavaleiros da Cultura, debateu o tema: “Múltiplas Leituras”, fazendo referência às diversas maneiras de se contar uma história, por meio não só das palavras, mas também através de obras de arte, ilustrações e fotografias. Além disso, o tema, ao mesmo tempo, reverenciou a multiplicidade das obras de Ziraldo e sua atemporalidade.

 Sobre os Cavaleiros da Cultura 

A Associação Cavaleiros da Cultura é uma organização sem fins lucrativos que busca fomentar a cultura por meio do incentivo á leitura em todo o Brasil. Compartilhando experiência e conhecimentos com a sociedade, em sete anos de atividades, a entidade já contabiliza cinco expedições no currículo, que somadas, resultam em mais de 4.000 quilômetros percorridos entre os estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e Bahia. Além disso atende na Casa de Leitura, em Rio Novo, cerca de 200 pessoas por mês, entre adultos e crianças. Para 2016, a meta é alcançar a marca de 1 milhão de livros doados. 


 

Contato – Associação Cavaleiros da Cultura – http://cavaleirosdacultura.org.br/contato/

No Facebook –  https://www.facebook.com/CavaleirosdaCultura

 

Anterior Tipos de Embocadura
Próximo Associação de Equoterapia Vassoural

Sobre o Autor

*O conteúdo dessa matéria é de inteira responsabilidade do seu autor, não tendo a Viajar a Cavalo qualquer responsabilidade sobre o teor dessas informações.

Você também pode gostar de

Ações Sociais Leia e comente!

Associação de Equoterapia Vassoural

Em 2010, foi fundada a Associação de Equoterapia Vassoural (AEV), uma entidade civil, de direito privado e sem fins lucrativos, cujo objetivo era ampliar o número de atendimentos e buscar reconhecimento e apoio junto aos órgãos públicos.

Cavalgada do Centenário – ACC

A Cavalgada do Centenário de Oscar Niemeyer idealizada por Carlos Oscar partiu de Goianá, município localizado a 40 Km de Juiz de Fora, Minas Gerais, no dia 28 de julho, com destino a Barretos, em São Paulo, para participar da abertura da 52ª Festa do Peão Boiadeiro, dia 16 de agosto, ocasião em que Niemeyer foi homenageado.

Ações Sociais Leia e comente!

Esporte Equestre Adaptado

Além dos atendimentos equoterápicos, os praticantes da Associação de Equoterapia Vassoural (AEV) conseguem guiar o seu cavalo com certa independência e segurança e passam a fazer parte do Quarto Programa da Equoterapia (segundo a ANDE – Brasil), que é o Programa Esportivo, sendo assim, preparados e orientados pela equipe para participarem do Esporte Equestre Adaptado, um novo e amplo espaço de inclusão social que se abre para seus praticantes.

Leia e comente!

Nenhum Comentário ainda

Você pode ser o primeiro a comentar esse post!