Usar Esporas? Sim ou não?

Por que as pessoas usam esporas? Quando deveriam ou não deveriam usa-las?

Por José Luiz Jorge*

São ainda frequentes as perguntas sobre o uso de esporas:

  • Eu devo usá-las? 
  • Quando são adequadas?
  • Alguém deve usar sempre as esporas?
  • Esporas farão um cavalo mais esperto?
  • Conheço amigos que usam rosetadas, essas são melhores que as de barra fixa, usadas em hípicas?

esporas

Após consultar especialistas, o que eu penso sobre isso

 Consultei diversos especialistas para confrontar com a minha visão e prática e espero que este artigo esclareça um pouco mais o tema.

 Esse texto teve como base algumas dicas enviadas pela grande amazona norte americana Stacy Westfall.

Antes de usar, o que você precisa saber sobre as esporas.

Há duas coisas importantes a comentar sobre esporas:

1 – Uma espora, pode-se dizer que nada mais é do que um motivador;

2 -Pode ser uma surpresa para você, mas, esporas não vão resolver seus problemas de movimentar o cavalo para a frente.

Um motivador é algo que incentiva o seu cavalo para fazer uma mudança em seu comportamento. Este motivador, se for bem usado, está no terreno das ajudas. Outras motivações comuns são as cabeçadas, embocaduras, as pernas enquanto montado e assim por diante. Nós usamos estas coisas para comunicarmos aos nossos cavalos, para deixá-los a par sobre o que é que estamos solicitando.
Por exemplo, quando você está conduzindo seu cavalo e você quer parar; você vai pressionar para trás as rédeas e a embocadura. Quando o cavalo para de se mover, você libera a pressão. Neste caso, o alivio da pressão na boca, no exato instante em que ele começa a ceder é o motivador que fornece o sinal para o cavalo.

A comunicação clara indica ao seu cavalo que ele fez a coisa certa.

Se você está montando seu cavalo… e você quer mais velocidade, você primeiro vai motivar apertando as pernas, ou mesmo tocá-lo com elas. Quando é atingida a velocidade que você quer, você parar a pressão. O motivador aqui é a sua perna.
Mas, e se você quiser ser mais preciso com o seu pedido? Imagine apontar com um aceno de sua mão para indicar uma direção geral versus apontar para uma localização exata com o dedo no mapa. É aí que entra o uso de esporas na opinião da maioria dos especialistas; eles acrescentam um maior grau de precisão na comunicação com meu cavalo, porque eu posso ter mais pontos de pressão em uma área menor. Elas também podem motivar um cavalo que sabe o que estou pedindo, mas que está determinado a ser lento ou relutante em responder. É um incentivo adicional quando essa pressão do dente reto é removida.

Esporas não são a melhor resposta para todos os cavalos.

Considere este cenário: Em uma empresa, o empregado “um” chega ao trabalho cedo todos os dias, feliz por estar ali e pronto para realizar um bom trabalho, faz o que gosta e dá o melhor de si.
O empregado “dois” vai para trabalhar todos os dias, mas muitas vezes é o último na porta. Embora lento para ir embora, uma vez no trabalho as suas ações podem ser geralmente boas.
O empregado “três”, por sua vez, trabalha até tarde e perde a hora todos os dias regularmente. No trabalho, este empregado executa mal suas tarefas. Reprimendas repetidas têm pouco ou nenhum efeito. Como o tempo passa, este empregado faz menos e menos a cada dia em um esforço para descobrir como ele pode fazer menos e ainda receber um ordenadinho.

Que tipo de “empregado” é o seu cavalo?

 Descobrir com que tipo de “empregado” seu cavalo se parece, e então encontrar uma motivação adequada. Você não deve nunca castigar com dores, violência ou o absurdo de tirar do seu cavalo alimento ou água (que seria uma forma de pagamento), mas você pode tomar medidas que um empregador poderia tomar para levar a criação de consequências para a falta de ação e de vontade.
– Os “empregados’ dois e três precisam ser lembrados das noções básicas de seu trabalho. Se seu cavalo cai em qualquer dessas categorias, de algum modo aprendeu que ignorar as pernas é uma resposta aceitável. Recorrer a esporas nesses casos só vai piorar seu problema e você pode acabar mesmo ensinando seu cavalo para ignorar suas esporas. Estes cavalos precisam repassar por alguns dos mesmos passos que um cavalo jovem atravessa a aprender o movimento para a frente. Isto inclui tudo o que deve acontecer antes da primeira saída externa de um cavalo como trabalho de base, feito do chão, comandos de voz e movendo-se para a frente, colocando-o no redondel sob pressão em sua linguagem. Em seguida, as mesmas lições precisam ser reforçadas da sela.
Alguns cavalos na categoria “empregado dois” são claros sobre o que você quer, mas eles são lentos em responder. Enquanto as esporas podem ser de alguma utilidade nesse caso, você vai querer certificar-se de que você deve rever o básico antes de dar uma nova oportunidade de ele responder. Certifique-se que o problema é seu tempo de resposta e não uma confusão sobre o que é que você está pedindo.

Então, quando o uso das esporas é apropriado?

Esporas podem ajudar a motivar seu cavalo eficazmente somente depois que o cavalo tiver uma compreensão completa (nível de formação) do que é que está sendo solicitado através das ajudas de pernas e estiver disposto a realizar.

Conforme o seu cavalo progride para maiores níveis de formação, menos e menos pressão é necessária para comunicar um pedido.

Atente para o fato que as esporas, ao invés de serem uma sugestão mais dura, podem realmente ser algo mais suave, por aí se vê como são mal usadas. Com esporas, um ponto concentrado de leve pressão pode comunicar o que exigiria mais pressão de uma superfície maior, como acontece no treino para o salto.

Comece a ensinar o cavalo como responder a uma leve pressão de perna antes de usar as esporas.

Quando usadas corretamente os cavalos se importam e respondem ao leve toque das esporas para todos os movimentos. A chave aqui é “usá-las corretamente”, sabendo o que você quer solicitar, considerando o nível em que ele se encontra no trabalho.

É importante para você conhecer suas próprias limitações.

Não use esporas, se você sabe que pode golpear o cavalo com elas quando você não pretende fazer isso, isto é, ficar tocando, cutucando a barriga sem querer ou sem se dar conta. É preciso saber mais sobre o básico de equitação, e saber quando encostá-las no cavalo, que tipo de toque você quer dar e para que. E lembre-se, usando esporas quando seu cavalo não entende é como falar mais alto para alguém que não fala a sua língua; isso não ajuda em nada”.

Outras dicas

– Se você nunca usou esporas antes certifique-se de que seu cavalo entende que suas pernas querem dizer “vamos para a frente”. Testar isso usando somente suas sugestões de perna para pedir o seu cavalo para andar, trotar e galopar (sem sinais de voz, chicote, etc.). Se seu cavalo não pode passar este teste, é você que precisa fazer uma reciclagem na sua equitação.

– Se você nunca usou esporas, antes de iniciar com o pequeno deslizar delas no contato, este estilo é pequeno o suficiente para que você seja menos suscetível de estimular involuntariamente seu cavalo. Se suas pernas são mais curtas pode ser sempre necessário esporas mais curtas porque seu pé está mais perto do abdômen do cavalo. Se você tem pernas mais longas que penduram, para passar sua perna no tronco dos cavalos, você geralmente pode ir mais longe e usar as que tem hastes mais longas porque suas pernas são menos propensas a ficar batendo nos lados do seu cavalo.

Usar esporas não fará com que você precise sempre de esporas. Apenas como qualquer outro treinamento cuide para você não fazer um cavalo excessivamente maçante ou excessivamente sensível a qualquer sugestão por causa de seu sincronismo e liberação.

– Nem todos os cavalos precisam de esporas. Avalie suas razões para querer usá-las e se você não tiver certeza, consulte um profissional em sua área de hipismo para aconselhamento pessoal, porque o uso é diferenciado para esportes, trabalho e ou lazer.


*Proprietário do Rancho São Miguel, um centro equestre, de informação e conhecimento sobre o cavalo e sua relação com o Homem.

Anterior Perder Peso e Se Divertir Cavalgando
Próximo Ferraduras em Cavalos Marchadores

Sobre o Autor

*O conteúdo dessa matéria é de inteira responsabilidade do seu autor, não tendo a Viajar a Cavalo qualquer responsabilidade sobre o teor dessas informações.

Você também pode gostar de

Aparados da Serra Entre Orelhas

Uma seleção de fotos que mostra a minha visão da região dos Aparados da Serra, Rio Grande do Sul, Entre Duas Orelhas.

Os Primeiros Caminhos de Tropas

Desde a descoberta de ouro no Brasil, em grande escala na região “das Geraes”, tanto o escoamento da produção colonial quanto o abastecimento das regiões produtoras foram feitos no lombo de animais de carga.

Causos & Cavalgadas Leia e comente!

O Uso de Chicote e Esporas

O uso disseminado de artefatos como esporas e chicotes, auxiliares na condução dos cavalos, não confere a eles o certificado de “verdade estabelecida”.
Mozart Barros no seu novo artigo, de forma corajosa, aborda esse assunto.

Leia e comente!

Nenhum Comentário ainda

Você pode ser o primeiro a comentar esse post!