Índia – Na Rota das Especiarias

Índia – Na Rota das Especiarias

Foto: Egings

 

Por Jacira Omena*

 

Estive na região do Rajastão entre dezembro de 2014 e janeiro de 2015 viajando a cavalo. 

 Enquanto me preparava para essa viagem passou pela minha cabeça o temor em relação a comida. Sabia que grande parte dos indianos, por questões religiosas ou não, é vegetariana.

 Eu não sou uma “carnívora” praticante e devota, mas posso afirmar que sinto falta de carne na minha alimentação quando dela me afasto.

 Fiquei grata e surpresa quando percebi que durante a minha viagem, eu não senti falta de carne na minha alimentação.

 Não fiquei totalmente sem carne, já que em muitas situações dentro do cardápio fomos contemplados com frango ou carneiro. Duas carnes que gosto muito.

 Mas, na maior parte do tempo comemos pratos típicos da culinária local, vegetariana, de incríveis sabores e muito frescos. Sabores e aromas fantásticos.

 Antes de voltar para casa, passei por uma loja especializada em temperos e comprei todos os grandes clássicos – Curry, Cardamomo, Masala, entre outros.

 Vejam esse artigo ótimo do website – OLHAR TURÍSTICO – http://www.olharturistico.com.br/culinaria-indiana/ – sobre culinária indiana! 

E não tenham receio em viajar para a Índia – Vocês vão passar muito bem!


A culinária da alquimia e das especiarias. Sem dúvida sua maior identidade é a diversidade de sabores e temperos desenvolvidos pelos cozinheiros do país asiático. Além do sabor, as cores impressionam nos pratos e na cultura em geral.

Na Índia, parte significativa da população (superior a 1 bilhão de habitantes) é vegetariana realçando o uso de vegetais e frutas, cereais e segredos culinários que provocam curiosidade, desde as rotas comerciais antigas com países ocidentais, mas que existem desde o século 2000 A.C.

Lá, comida e religião também caminham juntas. Alem das religiões originárias do país, outras chegaram após os anos 1000 D.C.

Por conta do hinduísmo a vaca é considerada sagrada aproveitando-se desse animal os laticínios em boa parte de sua gastronomia. Segundo a religião, os derivados do leite influem na espiritualidade.

Na culinária o que realça são as especiarias e condimentos fabricados com dezenas de elementos como:
Ervas (folhas secas ou frescas para aroma), especiarias (frutas, raízes, bagas, hortaliças, cascas secas), pimentas como as malaguetas que são cultivadas em todas as suas formas, cores e intensidades. De tão aclamadas acabam sendo utilizadas em festivais e casamentos de forma especial.

Estas chamadas especiarias eram antes apenas comercializadas na Europa via os comerciantes árabes, ou então por meio de caravanas longínquas. No século XV o acesso a especiarias influenciaria no contexto social das pessoas, ou seja, as elitizava.

Daí Portugal chegou às Indias via marítima e o comercio se intensificou sensivelmente. Como há muitos séculos elas estão presentes na culinária européia e muitas já se fundiram com as regionais na tradição gastronômica do país.

A Índia, assim como a maioria dos países orientais, tem no arroz um alimento básico e que é preparado de várias formas pelo país.
Curry é o termo para os ensopados e se diferenciam de região para região da Índia de acordo com os ingredientes disponíveis; já a marsala significa temperos que contam com inúmeras receitas regionais.

Os ingredientes utilizados na criação dos condimentos indianos.Na composição do curry podem ser usados mais de 20 elementos entre o picante e o adocicado. Geralmente leva cúrcuma, que lhe atribui a cor amarelada. Alem disso constam gergelim, tamarindo, feno-grego, semente de erva doce, cominho, canela, cravo e pimentas, pretas, vermelhas e dedo de moça.

Interessante que recentemente algumas pesquisas revelaram que o curry, particularmente a cúrcuma teria propriedades na prevenção de Alzheimer, Parkinson e outras doenças.Gengibre, outras pimentas e ervas podem ser usadas nas variações. O curry difundiu-se via os ingleses e atualmente é utilizado em vários pratos além do arroz. O próprio nome é tradução da palavra kari, que significa molho.

A marsala é uma combinação de especiarias torradas misturada a sementes. Bastam duas ou mais ervas ou especiarias para ser chamada marsala. Estas misturas têm aromas e cores diferentes, algumas de cores fortes, como fossem corantes, mas são naturais.

O Garam Masala é uma combinação mais forte, porém outras apenas mais aromáticas também são encontradas. Elas podem ser combinadas a outros elementos como vinagre e leite de coco, de forma a formar uma pasta.

Além da marsala e do curry, a gastronomia indiana também lembra chutney. Eles consistem na parte agridoce da culinária indiana, embora nem todos tenham este sabor. Onde as pimentas, açúcar mascavo e frutos se encontram, junto a vegetais e outras especiarias. Originário de um termo persa antigo significa porção de comida.

Na Índia, ao contrário de alguns produtores europeus, o chutney é produzido na hora de consumir, não para guardar em conserva. O mais difundido é o de manga, mas pode-se encontrar de muitos outros sabores. Chutney de vegetais não cozinham, apenas os de frutos. Em Goa, a ex-colônia portuguesa encontra-se de camarão seco e de coentro. De forma geral existem os doces e os quentes.

Sobram segredos e novidades na elaboração dos pratos desta culinária. E enganam-se aqueles que pensam que a comida indiana é somente ardida. Os sabores podem variar em todas as direções, inclusive agridoce, perfumada e suave.

Além do mais não é a toa que as especiarias fazem sucesso há séculos. Além de destacarem sabores, acentuarem a condimentação e dar cores e aromas aos alimentos, elas também facilitam na digestão e tem inúmeras propriedades medicinais.o

Anterior Fotografe Sem Limites!
Próximo Viagens ao Nordeste do Brasil

Sobre o Autor

Jacira Omena
Jacira Omena 193 posts

Viajante e Escritora - Escreveu o Livro - Viajar a Cavalo:Um Guia Passo a Passo. "Viajo pelo mundo a cavalo sempre a procura de algo novo e surpreendente, e com grande frequência sou bem-sucedida nessa busca!

*O conteúdo dessa matéria é de inteira responsabilidade do seu autor, não tendo a Viajar a Cavalo qualquer responsabilidade sobre o teor dessas informações.

Você também pode gostar de

Sela & Cia Leia e comente!

Como Saber o Tamanho do Seu Capacete?

Decidiu que usar capacete é importante!
Vai comprar um?
Uma dica sobre como descobrir o número do seu capacete!

Viagem a Cavalo – Grande Travessia dos Andes – Filme

A Viagem a Cavalo, em forma de expedição, percorreu trilhas e caminhos entre os arredores de Bariloche, Argentina, e Puerto Varas, Chile.
Foi e continua sendo a melhor viagem a cavalo que eu já fiz. Deixou como frutos lindas lembranças e amizades.

Guias e tutoriais Leia e comente!

Efeitos do Peso Sobre o Cavalo

Assista isso, e nunca mais você montará diretamente do chão novamente!

Leia e comente!

Nenhum Comentário ainda

Você pode ser o primeiro a comentar esse post!