Nordeste – Cavalgar, com que roupa?

Tradição e Trabalho

Por Vanessa Omena*

 

No Nordeste: Proteção e Liberdade

O vaqueiro nordestino, em sua lida diária com o gado, costuma se vestir com a roupa que lhe dão maior proteção e liberdade, geralmente de calça jeans e blusas de algodão e o tradicional chapéu de couro. A vestimenta tradicional é caracterizada pela predominância do couro cru e curtido, geralmente, utilizando-se processos primitivos, o que o deixa da cor de ferrugem, flexível e macio (retira-se todo o pelo). Antigamente era usado o couro de veado catingueiro, mas por causa dessa espécie encontrar-se em extinção, passou-se a usar o couro de carneiro e de bode a chamada no sul de pelica.

No livro Os Sertões, o escritor Euclides da Cunha (Os sertões, 12ª edição, 118-119) desenha o vaqueiro das caatingas baianas da seguinte forma:

 “O seu aspecto recorda, vagamente, à primeira vista, o do guerreiro antigo exausto da refrega. As vestes são uma armadura. Envolto no gibão de couro curtido, de bode ou de vaqueta; apertado no colete também de couro; calçando as perneiras, de couro curtido ainda, muito justas, cosidas às pernas e subindo até às virilhas, articuladas em joelheiras de sola, e resguardados os pés e as mãos pelas luvas e guarda-pés de veado – é como a forma grosseira de um campeador medieval desgarrado em nosso tempo. Esta armadura, porém, de um vermelho pardo, como se fosse de bronze flexível, não tem cintilações, não rebrilha ferida pelo sol. É fosca e poenta. Envolve ao combatente de uma batalha sem vitórias… A sela da montaria, feita por ele mesmo, imita o lombilho rio-grandense, mas é mais curta e cavada, sem os apetrechos luxuosos daquele. São acessórios uma manta de pele de bode, um couro resistente cobrindo as ancas do animal, peitorais que lhes resguardam o peito, e as joelheiras apresilhadas às juntas. Este equipamento do homem e do cavalo talha-se à feição do meio. Vestidos doutro modo não romperiam, incólumes as caatingas e os pedregais cortantes”.

Foto: Luis Fabini

Foto: Luis Fabini – (https://www.facebook.com/luisfabiniphotographer/?fref=ts)

Veja o significado de alguns dos termos descritos acima:

Gibão: cobre os homens do pescoço à cintura, como se fosse um paletó de couro- espécie de paletó de couro que cobre os homens do pescoço à cintura.

Guarda-peito-Pedaço de couro curtido com que os vaqueiros resguardam o peito, preso por meio de correias ao pescoço e à cintura.

Perneira– Calça de couro ajustada ao corpo, vai do pé à virilha, mas deixa o corpo livre para cavalgar.

Chapéu– Protege o vaqueiro do sol e de eventuais golpes na cabeça.

 

 

Anterior Cavalgar - Com que roupa eu vou?
Próximo Dia de São Jorge - 23 de abril

Sobre o Autor

Vanessa Omena
Vanessa Omena 22 posts

Jornalista e escritora

*O conteúdo dessa matéria é de inteira responsabilidade do seu autor, não tendo a Viajar a Cavalo qualquer responsabilidade sobre o teor dessas informações.

Você também pode gostar de

Entre Orelhas Leia e comente!

Eu, Meu Cavalo e Um Rinoceronte

Cavalgávamos em fila indiana como na maioria das vezes, como medida de segurança. O guia principal a frente, nós em seguida, e o guia assistente fechando o grupo lá atrás. De um grupo de oito, eu era sempre a sexta da fila. Nesse meio tempo sem nada chamar atenção, meu cavalo pôs suas orelhas em pé e salta de lado na trilha extremamente nervoso.

Sentimentos a Cavalo Leia e comente!

Cavalo Selvagem – Sentimentos a Cavalo

Cavalo Selvagem é uma ode a liberdade na figura libertária de um garanhão em amplo galope em campo sem cercas e fronteiras.

Repouso na preparação física do cavalo atleta

Repouso na preparação física do cavalo, uma das cinco etapas que ainda incluem treinamento, manejo nutricional e controle sanitário.

Leia e comente!

Nenhum Comentário ainda

Você pode ser o primeiro a comentar esse post!