Paçoca de Charque & Tropeirismo

Paçoca de Charque & Tropeirismo

Foto: http://blogjp.jovempan.uol.com.br/

 

Por Jacira Omena*

 O Brasil é imenso e cheio de diversidade quando se fala de qualquer coisa. A diferença na história da ocupação das regiões alimenta uma pluralidade sem tamanho.

 E por falar em alimentação, comida e gastronomia, vamos entrar num assunto para lá de gostoso – Que comida você encontra durante suas viagens a cavalo e cavalgadas?

 Na última viagem a cavalo que fiz aqui no Brasil, eu fui para a região do Rio Grande do Sul, mais precisamente para São José dos Ausentes, onde desfrutei de uma culinária regional deliciosa. Por todos os lugares por onde andei e parei para comer, sempre fui surpreendida pelo sabor especial dos pratos tradicionais daquela localidade.

 E aí vem a história – São José dos Ausentes foi bastante influenciada pelo Tropeirismo, sendo parte da rota de comércio entre o Sul e o Sudeste na época do Brasil Colônia.

 A Paçoca de Charque, um dos alimentos típicos de quando os tropeiros vindos do Rio Grande do Sul cruzavam o estado do Rio Grande do Sul em direção a São Paulo, em meados do século XVIII.

 Nada melhor do que a Paçoca de Charque para representar parte dessa culinária cheia de influências.


 Vamos a Receita que pode ser feita na sua casa, substituindo o pilão pelo processador.

 Ingredientes

1kg de carne seca

1 maço de cheiro verde amarrado para cozinhar a carne

1 cebola roxa picada

1 xícara (chá) cheiro verde picado para refogar

1 pimenta vermelha fresca (dedo de moça)

1 xícara (chá) de óleo de milho

Aproximadamente 150g de farinha de mandioca crua – até dar o ponto

Utensílios

1 pilão de pau grande

1 mão de pilão pesada e arredondada nas pontas (socador)

1 panela de ferro

1 frigideira

Modo de preparo

Deixe a carne de molho no dia anterior. Retire da água e corte em cubos não muito grandes.

Cozinhe a carne com o maço de cheiro verde durante 20 minutos. A parte, pique a cebola, o cheiro verde e a pimenta vermelha sem as sementes. Coloque numa frigideira com uma colher (sopa) de óleo e refogue. Reserve.

Escorra bem a carne seca e frite numa panela de ferro com o óleo. Quando estiver bem frita jogue os temperos refogados e mexa. Desligue o fogo. Jogue um punhado de farinha de mandioca no pilão, alguns pedaços de carne seca misturada aos temperos, mais um punhado de farinha e vá pilando (socando) com energia.

A medida que a carne desfia e se mistura a farinha, coloque mais carne e mais farinha. Prove a consistência da paçoca para que não fique muito molhada nem muito seca. O ponto ideal é quando está úmida e bem desfiada.

Acompanhamentos: Arroz, feijão ou verdura cozida.


 

Fonte: G1,globo.com

Anterior Cavalo-Que Alimentação?
Próximo Vaqueiros de Heiniger

Sobre o Autor

Jacira Omena
Jacira Omena 199 posts

Viajante e Escritora - Escreveu o Livro - Viajar a Cavalo:Um Guia Passo a Passo. "Viajo pelo mundo a cavalo sempre a procura de algo novo e surpreendente, e com grande frequência sou bem-sucedida nessa busca!

*O conteúdo dessa matéria é de inteira responsabilidade do seu autor, não tendo a Viajar a Cavalo qualquer responsabilidade sobre o teor dessas informações.

Você também pode gostar de

Viagem a Cavalo Leia e comente!

Viajar a Cavalo – Aparados da Serra/RS – Filme

Viagem a Cavalo pela região dos Aparados da Serra, entre Cambará do Sul e São José dos Ausentes

Guias e tutoriais Leia e comente!

Viajar a Cavalo na Mídia!

Recebi o email abaixo do nosso parceiro, colaborador, colunista – Carlos Solera – historiador, escritor e especialista em Tropeirismo. Através dele nos informou a presença da nossa página viajaracavalo.com.br na mídia da cidade de Curitiba.

Américas Leia e comente!

Viagem a Cavalo – Equador – Terra dos Chagras e Vulcões – Filme

Viagem a Cavalo pelos Andes Equatorianos com sucessões de paisagens de tirar o fôlego

Leia e comente!

Nenhum Comentário ainda

Você pode ser o primeiro a comentar esse post!