Regras de Ouro em Cavalgadas

Regras de Ouro em Cavalgadas

Foto: Jacira Omena

 

Por Jacira Omena*

 

Antes de serem convenções sobre boas maneiras de convivência, as regras são extremamente úteis na prevenção de acidentes desnecessários.

É um exercício de consciência, cautela e boas maneiras, alerta Rhonda Hart Poe.

A seguir algumas recomendações:

– Aguarde que todos estejam montados para começar a movimentar o seu cavalo.

– Aguarde todos os cavalos beberem água antes de deixar o local.

– Obedeça e pratique o passo e o ritmo ditado pelo guia e acordado entre os participantes do grupo.

– Só mude o passo após combinar com o grupo.

– Em muitos destinos, por motivos de segurança, têm como norma cavalgar em linha (fila indiana), hábito próprio dos europeus. Siga as instruções!

Não congestione, e mantenha a distância de um cavalo entre os cavalos.

– Peça a pessoa de trás para manter a mesma distância.

– Não pare inesperadamente no meio da trilha.

– Nunca trote ou galope até o cavalo da frente. Ele pode se assustar. Em vez disso, peça para ele diminuir o ritmo ou parar, e aguardar até você alcançá-lo.

– Fique sempre atento a agregação do grupo. Se você está muito à frente dos detrás, ou muito atrás dos da frente, mude o ritmo para aguarda-los, ou solicite que o aguardem.

– Quando um cavalo sempre anda mais rápido e tende a congestionar atrás do seu apesar de suas solicitações, é o caso de trocar de lugar na fila ou apressar o seu passo.

– Sempre que necessário, peça para que o grupo lhe aguarde, e faça o mesmo quando solicitado.

– Se o seu cavalo é rebelde e irrequieto, cavalgue no fim da linha.

– Universalmente utiliza-se uma fita vermelha amarrada na parte detrás do cavalo para alertar os demais que o cavalo coiceia ou tem outros comportamentos imprevisíveis. Caso não tenha uma fita, comunique e alerte para a possibilidade do seu cavalo coicear.

– Quando da passagem de algum trecho difícil ou logo após completar uma subida muito íngreme, aguarde que todos completem esse percurso antes de continuar o trajeto. Mas sempre deixe espaço para que cheguem sem congestionamento.

– Pare e aguarde se ocorrer algum tipo de acidente.

– As ultrapassagens devem ser feitas sempre pela esquerda. Avise: “ultrapassando pela esquerda”, antes de fazê-lo, quer seja por um cavalo, pessoas ou bicicleta.

– Avise em alto e bom som sobre obstáculos e outros eventos que devem ser alvo de cuidado pelos outros do grupo. E replique o aviso assim que receber um.

– Tenha cuidado com os galhos que aparecem no seu caminho. Desviar deles é a melhor opção, pois, ao empurrá-los, pode afetar a pessoa imediatamente atrás de você. Não sendo possível, avise imediatamente, e/ou reduza o ritmo, pare, segure-o e ultrapasse-o.

– Não beba e não fume em cima do cavalo por razões de segurança e de boa convivência.

– Mantenha o controle da voz nas conversas e evite barulho. Algumas pessoas observam animais e outras apenas desejam contemplar a natureza em paz.

Essas regras tendem a ser universais, mas é claro que existem modificações ditadas por força dos hábitos culturais, em diversas localidades. Fatores históricos, comportamentais e geográficos se sobrepõem na formação e determinação desses costumes.

E quando ocorre esse tipo de fato, o melhor é dançar conforme a música.


Fonte: LIVRO – Viajar a Cavalo: Um Guia Passo a Passo. Autora: Jacira Omena

Anterior Cavalgada - Qual o Melhor Animal?
Próximo O Que Levar na Mala?

Sobre o Autor

Jacira Omena
Jacira Omena 193 posts

Viajante e Escritora - Escreveu o Livro - Viajar a Cavalo:Um Guia Passo a Passo. "Viajo pelo mundo a cavalo sempre a procura de algo novo e surpreendente, e com grande frequência sou bem-sucedida nessa busca!

*O conteúdo dessa matéria é de inteira responsabilidade do seu autor, não tendo a Viajar a Cavalo qualquer responsabilidade sobre o teor dessas informações.

Você também pode gostar de

Sela & Cia Leia e comente!

Selas – Que tipos?

Que tipos de selas encontramos por aí?
Muitas, diria eu. Quase infinito os tipos de selas que encontramos em cada localidade onde se cavalga. Influências e materiais diversos. Cada uma com sua explicação histórica e de costumes.

Guias e tutoriais Leia e comente!

Campolina Marchador – A Raça

Campolina Marchador é uma das grandes raças brasileiras de cavalos. Grande mesmo!
E foi através do propósito de um homem que ela se tornou realidade.
Surgiu o cavalo “gigante” marchador brasileiro!

Guias e tutoriais Leia e comente!

Gastronomia de viagem – Entrevero

Diversos tipos de carnes, bacon, pimentões e temperos se sucedem no tacho de ferro, ou disco (muito usado na região) contribuindo para a “confusão” final.

Leia e comente!

Nenhum Comentário ainda

Você pode ser o primeiro a comentar esse post!