Viajar a Cavalo? Prepare-se para as fotos!

Viajar a Cavalo? Prepare-se para as fotos!

Foto: César Teixeira

 

Por Heleno Clemente

 

De Malas prontas? 

Se você é daqueles que encaram suas viagens com espírito de aventura, certamente está no time dos que contam histórias ilustradas com as melhores imagens de cada destino. Então, vamos imaginar. Sua próxima viagem será a cavalo, e justamente por isso exigirá planejamento de acordo com a duração e roteiro.

Foto: Heleno Clemente

Foto: Heleno Clemente

 Na possibilidade de viajar com o suporte de uma agência especializada (no Brasil ou no exterior), que cuida de tudo, ocupe-se com dedicação à sua bagagem, principalmente se for um apaixonado por fotografia.

 Que tipo de fotografia você gosta ou espera fazer?

 A sua resposta dirá o que levar, já que nesse tipo de viagem – em “lombo de cavalo” –  tudo é considerado peso extra. Ao decidir-se por uma câmera compacta ou “smartphone” de qualidade, você poderá fotografar em qualquer situação. Porém, não terá o controle e o resultado oferecidos por uma câmera DSLR (aquela que permite a troca de lentes). Mas, qualquer que seja a sua escolha, sempre haverá vantagens e desvantagens.

 Na primeira opção, você terá que se preocupar – basicamente – com o armazenamento das imagens e o rendimento das baterias. Ao contrário da DSLR, que pede filtros, lentes, mais cartões de memória, cabos, flash, baterias extras, enfim, uma parafernália que só fotógrafos profissionais a serviço ousam carregar. É claro que você pode carregar apenas o básico, caso não se importe com a limitação do equipamento.

Foto: Heleno Clemente

Foto: Heleno Clemente

Pense bem sobre o equipamento que pretende levar!

 Pronto! Imagino que a agência cuidou de tudo, desde a hospedagem até os cavalos para a comitiva; você já está na trilha e a aventura apenas começando.

 Se escolheu a câmera DSLR, com certeza sua mochila deve ser a mais pesada do seu grupo. Então, cuide bem dela e de sua própria segurança. Trate de estar em boa forma física para carregá-la, evitando expor-se a riscos desnecessários. Atenção! Evite mudar as lentes da câmera em locais de vento, poeira ou areia, para não correr o risco de danificar o equipamento.

Foto: Ari Filho

Foto: Ari Filho

Se errar no equipamento, já era.

 Aqueles que escolhem cobrir a viagem com a câmera do telefone celular ou uma compacta “point-and-shoot” (aponta e dispara), certamente terão a menor das preocupações. Se for uma câmera tipo “GoPro”, para filmar e fotografar com pouquíssimo peso, melhor ainda.

 Menos peso e preocupação com o equipamento permitem total dedicação à prática da fotografia, da escolha do tema à composição / enquadramento. Mas cabe um alerta. Quando se caminha em grupo, em qualquer tipo de trilha (a pé ou a cavalo), pode ser que muitas fotos sejam feitas em movimento. É aí que surgem dois problemas: imagens tremidas (ou embaçadas) e pessoas sempre de costas, já que todos caminham em fila.

 Para evitar as imagens tremidas ou fora de foco, pois além do movimento dos cavalos poderá haver influência da luz ambiente, procure fotografar parado e com a câmera estabilizada (altere a configuração do ISO ou “modo de cena”, se for o caso).

 Já as fotos “das costas” poderão ser evitadas se você se adiantar e esperar a passagem do grupo. Fotografe o rosto das pessoas e os animais à medida que se aproximam. Componha a cena, destaque o ponto de interesse, use a luz e os contrastes a seu favor. Se puder, interfira na configuração da câmera, testando outras possibilidades técnicas.

Foto: Heleno Clemente

Foto: Heleno Clemente

Nem sempre as costas são problema. Gostou da cena? Fotografe! 

 Logicamente, se você estiver montado o tempo todo, não haverá mudança do ponto de vista (abordei isso no artigo “Fotografe sem limites”) e as fotos poderão ficar muito parecidas. Então, permita-se ousar na busca de ângulos diferentes.

Aproveite as paradas e use o seu instinto investigativo para descobrir o inusitado. Afinal, imagino que você queira contar a história de sua viagem com riqueza de detalhes, emoção e beleza.

Foto: Heleno Clemente

Foto: Heleno Clemente

Aproveite as paradas e explore o cenário.

 Mas, não caia no recurso da “selfie”, da pose fácil, com a pessoa fotografada diante de uma paisagem estonteante, porém olhando para você, agora fotógrafo.

 Registre isso se desejar, mas fotografe também de outras maneiras, com as pessoas olhando para o cenário, interagindo de maneira natural, prazerosa, envolvidos com alguma coisa. Não faça um simples retrato posado.

Para incrementar a ilustração da sua história, busque detalhes do ambiente, do manejo dos cavalos, preparo do “rancho” e o que mais lhe agradar.

 Ao final da viagem, você terá as belas imagens que havia imaginado e ainda um pouco mais.  


 Heleno Clemente / Heleno Photoequestre* 

Sites / portfolio

www.troteegalope.com

helenoclementephotoequestre.46graus.com/

Facebook

https://www.facebook.com/heleno.clemente.photoequestre

https://www.facebook.com/HelenoPhotoequestre

 

 

 

 

 

 

 

 

Anterior Associação de Equoterapia Vassoural - AEV
Próximo Viajar a Cavalo - Equador- Reserva Bomboli

Sobre o Autor

José Luiz Jorge
José Luiz Jorge 6 posts

Trabalha com cavalos há mais de 25 anos. Autor dos livros “Conversando sobre Cavalos” e “Aprendendo com o Cavalo".

*O conteúdo dessa matéria é de inteira responsabilidade do seu autor, não tendo a Viajar a Cavalo qualquer responsabilidade sobre o teor dessas informações.

Você também pode gostar de

O Tropeirismo – Cavalos & Muares na América

TROPEIRISMO é o primórdio dos deslocamentos mais longos com muares e cavalos em todo o mundo, e teve um grande papel na economia e nascimento de cidades no início do Brasil Colônia.
Ainda hoje, em muitas regiões do país não se trata apenas de uma tradição ou folclore, e sim da manutenção da prática pela necessidade em áreas longícuas, como o Pantanal.

Guias e tutoriais Leia e comente!

Sobre Equoterapia

A Equoterapia é um método terapêutico, holístico, que utiliza os recursos fornecidos pelo cavalo, dentro de uma abordagem interdisciplinar, montado ou não, buscando um desenvolvimento biopsicossocial do indivíduo. Ela habilita, reabilita, previne e educa o praticante de forma global.

Textos Editoriais Leia e comente!

Como Saber o Tamanho do Seu Capacete?

Decidiu que usar capacete é importante!
Vai comprar um?
Uma dica sobre como descobrir o número do seu capacete!

Leia e comente!

Nenhum Comentário ainda

Você pode ser o primeiro a comentar esse post!